Otorrinolaringologia

O que é o ronco?

O Ronco

O ronco é um ruído produzido pela vibração dos tecidos da garganta conseqüente  passagem “forçada” do ar e isso ocorre quando há um estreitamento do espaço na via aérea superior. Enquanto nas crianças a causa desse estreitamento é quase sempre aumento de amígdalas, adenóide e cornetos nasais, nos adultos a causa geralmente é relaxamento e flacidez da musculatura e demais tecidos da garganta. Alguns casos ocorre apenas o ruído mas a pessoa respira e dorme bem, prejudicando os companheiros de quarto e sendo motivo de constrangimento. Porém  alguns casos ocorre diminuição da respiração (hipopnéia) e até parada da respiração por 10 segundos ou mais (apnéia), nestes casos ocorre a doença  Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono (SAOS).

As queixas mais freqüentes são roncos, acordar à noite sufocado, taquicardia, arritmias (alterações no batimento cardíaco),alterações da pressão arterial, sonolência diurna, irritabilidade, impotência sexual, esquecimento e falta de concentração. Segundo dados estatísticos, 30 a 40% da população apresenta roncos e até 9% dos homens e 4% das mulheres apresentam SAOS.

É normal criança roncar?

Não. A criança que ronca frequentemente e tem sono agitado, baba, nariz sempre obstruído, na maioria das vezes apresenta aumento da adenóide (um tipo de amígdala localizada atrás do nariz) e/ou amígdalas e/ou cornetos nasais.
A adenóide e as amígdalas são tecidos que fazem parte do sistema imunológico (de defesa) através da produção de anticorpos para o combate às infecções.  Na infância estes tecidos tendem a aumentar devido ao intenso contato com agentes agressores a maioria “novos” para a criança e quando a amígdala e/ou adenóide ficam muito grandes tornam-se prejudiciais a criança, pois geram obstrução da via aerodigestiva. O resultado é a respiração bucal, principalmente a noite, (porque o céu da boca relaxa e toca a adenóide) sono agitado porque a criança busca uma posição em que respire melhor e roncos.  As conseqüências a curto prazo são a má qualidade do sono, agitação, irritabilidade e diminuição do apetite (por ter nariz entupido a criança não sente o cheiro e gosto adequadamente dos alimentos, diminuindo seu interesse pelos mesmos). A longo prazo ocorre diminuição, em alguns casos, da produção do GH (hormônio do crescimento), diminuição do rendimento escolar, alterações ósseas no cresimento facial, entre outros. O crescimento dos seios da face e malares (bochechas) dependem do fluxo aéreo nasal, o da mandíbula (queixo) depende da ação de músculos nela inseridos e, por fim, a boca aberta muda também o posicionamento e tônus lingual. O resultado é uma face afilada, com mandíbula e malares menos desenvolvidos, dentes para frente, céu da boca alto, entre outras.
Quando seu filho ronca  “de vez em quando“ associado a um resfriado  tudo bem, porém quando é freqüente um otorrinolaringologista deverá ser consultado.

Autor: Dr Rafael Panizza Leutz – CRM 135483

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *